Notícias

Planejamento Estratégico da Febem-SP é apresentado para dirigentes e funcionários

Por Assessoria de Imprensa, em 25/05/06 17:25

 

Apresentações ocorreram durante cinco dias, na sede da instituição

Funcionários de todas as diretorias, divisões e unidades da Febem estiveram reunidos, durante cinco dias, no auditório da sede da Fundação, para conhecerem o Projeto de Remodelação da Instituição, em andamento desde agosto de 2005. O objetivo da iniciativa é nortear as novas ações que serão executadas até o ano de 2010.

O novo programa também inclui a implantação do plano de Cargos e Salários que entra em vigor a partir do 1º dia do mês de junho. A medida vai beneficiar todos os funcionários da Instituição que se enquadrarem nas novas regras de promoção adotadas pela presidência.

Durante os próximos quatro anos, o Programa de Remodelação da Febem será o principal indicador que vai direcionar o plano estratégico institucional. Todos os projetos serão pautados por 10 objetivos e 15 programas, de acordo com as seis diretrizes estratégicas da Febem, já apontadas durante a apresentação do Planejamento Estratégico 2006-2010.

Esses programas serão coordenados por funcionários de carreira da Fundação, que vão ser avaliados mensalmente por uma equipe formada por três profissionais contratados, vindos da iniciativa privada, e com know-how na implantação de projetos desta natureza. Trata-se do Grupo de Apoio à Gestão Estratégica (GGE).

Dos 15 programas prospostos, alguns já estão em andamento. Um deles é o Programa de Valorização dos Funcionários de Carreira

“Essas pessoas serão responsáveis pela avaliação dos gestores e vão acompanhar, de perto, todo o desenvolvimento do projeto. Os indicadores de cada programa serão criados por grupos de funcionários de várias áreas da Instituição, pelos gestores dos programas, pela equipe do GGE e pelos funcionários que elaboraram o programa homologado pela presidência”, explica a assessora da Presidência da Febem, Cleunice Valentin Pitombo.

Dos 15 programas propostos, alguns já foram colocados em prática. Entre eles, o Programa de Valorização dos Funcionários de Carreira (P7), desenvolvido por meio do plano de cargos e salários; e o Programa de Implantação de Novas Unidades e desativação do Complexo Tatuapé (P9).

Outro programa que também já está em andamento é o de melhoria da infra-estrutura tecnológica e de equipamentos (P11), com o portal que está sendo elaborado pela Uniemp, onde as informações de todas as áreas serão canalizadas em um único canal de comunicação, ou seja, uma central de informação interna.

Regionalização da Febem - Outra iniciativa que faz parte das metas que serão executadas nos próximos anos é a Regionalização da Fundação, tema que também foi apresentado aos funcionários na amostragem do Planejamento Estratégico 2006-2010.

No novo organograma da Febem foram criadas 10 divisões regionais que contarão com um orçamento próprio para fazer compras, licitações e executar as decisões estratégicas no atendimento às medidas socioeducativas previstas no ECA.

De acordo com a presidente da Instituição, Berenice Giannella, serão criadas divisões no interior e litoral do Estado. Na capital e Grande São Paulo serão criadas cinco Divisões Regionais Metropolitanas, contemplando todos os complexos já existentes, exceto o Tatuapé que será desativado até final deste ano e será inaugurado o parque do Belém.

Outra novidade que virá diluída nesse processo de regionalização da Fundação é a integração dos departamentos responsáveis pelas medidas de internação, semiliberdade e liberdade assistida. "Hoje existem alguns departamentos estanques na Fundação, que a partir de agora trabalharão em conjunto. Todos eles serão vistos de maneira única", esclarece a presidente, destacando que, além da questão administrativa, as iniciativas em curso serão de extrema importância para a descentralização técnica da Instituição.

Diretor administrativo fala sobre as mudanças previstas para os próximos anos

Planos de Cargos e Salários
- A carreira do servidor da Febem vai se estruturar em dois eixos principais para uma evolução salarial: o desenvolvimento por competência (conhecimentos, habilidades e atitudes), desempenho e o tempo de serviço, além disso todos os cargos serão classificados em apenas cinco (5) bandas (Técnica; Administrativa; Operacional; Gerencial; Sesmt).

A evolução por desempenho, quando o servidor passar de um grau para outro superior do mesmo nível ocorrerá em ano ímpar, a partir deste ano de 2006, porém, com efeitos para o ano de 2007. A evolução profissional quando o servidor passa de um nível para o outro, na respectiva faixa salarial, acontecerá em ano par, a partir de 2008.
 
Os quesitos mais importantes que contarão na hora de promover os funcionários serão considerados nos seguintes processos: bom desempenho no cargo; pontualidade e assiduidade; participação em cursos da Fundação; tempo de trabalho na empresa; tempo no cargo e tempo no grau e nível atuais.

Além disso, não poderão participar do processo de promoção os funcionários lotados em outros órgãos ou afastados por licença médica, também não poderão participar aqueles que tiverem mais que seis (6) faltas injustificadas em cada ano de avaliação, ou que tiverem sofrido sanção disciplinar no período. Para que a progressão funcional, de fato aconteça, o servidor precisa ter dois anos de efetivo exercício no grau, e três anos no nível.

Finalmente, lembramos que, a partir de dezembro de 2008, as atuais funções de confiança de Coordenador de Equipe, Coordenador Pedagógico, Supervisor Técnico, Encarregado Administrativo, Encarregado Técnico e Assistente Administrativo só poderão ser preenchidas por servidores do quadro permanente, por determinação do ministério público do trabalho.